O streaming está acabando com o planeta! | SALVIA.eco.br
Publicado: 11/08/2019

O streaming está acabando com o planeta!


Nos dias de hoje, poucas são as pessoas que ainda não se entregaram aos serviços de streaming de música. Sem uma mídia física, menor consumo de recursos para sua distribuição... Tudo seria muito lindo, certo? Porém, saiba que essa alternativa de distribuição multimídia online também tem deixado rastros no planeta.

Aprendendo a ouvir música

O streaming vem se tornando mais comum entre a população a cada ano que passa. Por isso, mídias físicas tradicionais vêm registrando um aumento nas vendas, nos últimos 12 anos. Fitas cassetes, CDs e principalmente os clássicos discos de vinil registraram um crescimento de quase 1,5% desde 2007.

O que muitos podem não saber é que embora as capas dos discos sejam geralmente feitas de papelão, os discos são feitos de policloreto de vinila (PVC), que é um material que, em condições normais, pode demorar séculos para se decompor!

Quando descartados em aterros sanitários, a acidez e temperatura variada do solo, podem fazer com que o vinil libere solventes utilizados para sua fabricação, para permitir que o vinil fique mais resistente e flexível. Esses solventes tendem a retornar para o meio ambiente como poluentes.

A revolução das mídias

Nos anos 80, por conta de sua durabilidade, portabilidade e qualidade sonora, os CDs tomaram a cena, substituindo os grandes LPs. Feitos de alumínio e policarbonato, os discos compactos tendem a causar um menor impacto no meio ambiente, se comparado ao disco de vinil, não só por conta de seus compostos como inclusive de seu material.

Por outro lado, os discos de CD e DVD que conhecemos não podem ser reciclado, pois são feitos com uma mistura de vários materiais, e o processo de separação deles é complexo, se tornando inviável economicamente.

A ameaça invisível

Hoje, a tecnologia que temos ao nosso dispor, permite o compartilhar de músicas com altíssima qualidade, praticidade e sem sequer a necessidade de qualquer mídia física. Basta fazer um upload e ela poderá ser consumida online inúmeras vezes, sem que haja até a necessidade de download do arquivo.

Analisando por esse ângulo, aparentemente o streaming é a solução sustentável ideal para o consumo de músicas, correto? Bom, não é bem por aí, não. Para que possamos consumir qualquer material online, esses arquivos precisam estar disponíveis em servidores, que são mega computadores que ficam ligados 24h por dia e precisam de um sistema de refrigeração específico.

Além disso, os dados são transmitidos por uma rede mundial, até um roteador, que irá transferir por wi-fi até os nossos dispositivos. Ou seja: cada vez que consumimos algum material via streaming, há um grande consumo de energia. Quando adquirimos uma mídia física, podemos reproduzi-la por várias vezes, tendo somente o consumo do dispositivo que irá tocar o disco.

O consumo de energia de um CD player chega a ser 3 vezes menor que o consumo de uma  música via streaming, sendo tocado num aparelho de som de alta fidelidade, sendo de 34,7 kWh por ano, enquanto o streaming, 107 kWh por ano.

Sustentabilidade e música: qual a melhor escolha?

Há vários fatores que interferem nessa decisão, como quantas vezes você escuta música, o equipamento que irá reproduzir, se você consome repetidamente as mesmas faixas...

Se você consuma repetir as faixas, uma mídia física irá ser muito mais útil - transmitir um álbum online por mais de 27 vezes, se torna inviável, considerando que pode consumir mais energia que a fabricação e gravação de um CD. Por outro lado, caso não seja um consumidor insaciável de música, o streaming lhe é a melhor opção.

Para ser mais preciso, as melhores opções para que você ouça suas músicas com a consciência tranquila de que não está degradando o meio ambiente, são:

  • Física: o clássico disco de vinil é a melhor opção. Além de um menor consumo de energia e recursos para sua fabricação, sua capa geralmente é produzida de papelão reciclado e que pode tornar à reciclagem, já reduzindo a quantidade de resíduos gerados.
  • Digital: o armazenamento local de HDs, cartões de memória, pendrives... Dessa maneira, você tende a fazer o download do arquivo somente uma vez e o deixando disponível para sempre que precisar ou quiser ouvi-lo, não sendo necessário uma nova transmissão.
Repense seus atos, reveja suas atitudes e, ciente da realidade apresentada, faça suas escolhas conscientes. Uma pequena mudança em nós, pode gerar uma grande transformação no mundo.

Voltar